O Leite de Vaca e o risco de uma alergia tardia, devido ao acesso de leite e a falta de outros nutrientes na alimentação diária.Sinais e sintomas desse alimento.

Por Dra. Karin Roberta Dantas Paciulo Instituto RV

Muitos estudos mostram hoje a relação das proteínas do leite e derivados com alergias tardias por mecanismo do nosso sistema imunológico, que são diferentes de alergias imediatas onde a pessoa tem reações alérgicas imediatamente após consumir o alimento.
O que acontece é que o organismo humano, não possui enzimas para “quebrar” as moléculas de proteína que o leite de vaca possui. Nosso corpo só produz enzimas para digerir proteínas de leite materno. Ou seja, não é da nossa natureza digerir o leite de vaca. As proteínas alergênicas dos lácteos provocam ainda, uma inflamação na mucosa intestinal causando alterações em sua permeabilidade, facilitando desta forma a passagem de macromoléculas e metais tóxicos, além de favorecer a má absorção de nutrientes.

Quando essas macro moléculas passam pelo intestino e vão para a corrente sanguínea, nosso sistema imunológico é ativado, por reconhecer essas moléculas como corpo estranho. E como nossas células imunológicas geram substâncias inflamatórias para combater este “corpo estranho”, é onde começam a surgir inflamações em várias partes do organismo, dependendo da pré -disposição genética de cada um. É aí que diversos sinais e sintomas começam a aparecer aparentemente sem causa específica, causando muitos danos á saúde sem que a pessoa sequer imagine que se trata de reações alérgicas tardias ao alimento.

Isso significa que não devemos mais tomar leite?

Não necessariamente. Na verdade o que tem causado o aumento dessas alergias é principalmente o consumo desequilibrado do leite e derivados, comparados ao consumo diminuído de outros alimentos fonte de vitaminas e minerais como: frutas, legumes e verduras que são alimentos que protegem nosso intestino, para que este órgão tão importante absorva de forma adequada os nutrientes.

Antigamente, o leite e seus derivados faziam parte da alimentação das pessoas em pequena quantidade (1 copo ao dia em média), atualmente, uma exposição excessiva pode ser um fator importante para o desenvolvimento dos processos alérgicos. Consumimos esse alimento muitas vezes sem nem saber que estão presentes em um produto industrializado. A alimentação era também mais natural, rica em nutrientes, sem agrotóxicos, o estresse era menor, por fim, o equilíbrio orgânico era maior. Atualmente damos pouca importância em “nutrir” nosso corpo, fazemos uso de grande carga de aditivos alimentares, refeições pouco nutritivas, comemos com pressa, mastigamos pouco e não temos hora para as refeições. Tudo isso e outros fatores, fizeram com que perdêssemos um pouco nossa capacidade de defesa e equilíbrio. E mais, a qualidade do leite também diminuiu, com a utilização de hormônios e antibióticos nos animais.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DE UMA ALERGIA TARDIA DE LEITE E DERIVADOS?

Estudos de caso clínicos mostram uma grande relação de alergia ao leite de vaca com os sintomas abaixo:

– Otite;
– Sinusite;
– Rinite;
– Bronquite;
– Amidalite;
Obesidade;
– Gastrite;
– Resistência a insulina;
Disbiose intestinal;
– Acne;
– Dores articulares;
– Doenças autoimunes como: artrite reumatóide, tireoidite, etc.

 

Links relacionados : Nutrição Funcional, Desconforto gástrico, Intoxicação do organismo 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *