Lesão do Manguito rotador e Síndrome do Impacto patologias tratadas de forma eficaz com a correção biomecânica

Foto: O Manguito Rotador é formado por quatro músculos (Supra-espinhal, infra-espinhal, subescapular e redondo menor) que se originam na escápula e inserem-se nas tuberosidades da cabeça do úmero. Sua função é gerar estabilidade ao ombro, promover movimentos do braço e nutrir a articulação do ombro.O suprimento sanguíneo deficitário do músculo supra-espinhal é um dos principais fatores para desenvolvimento de patologia degenerativa do manguito rotador. Além disso, o trauma, o impacto (entre a tuberosidade maior do ombro e acromio impactando o tendão do supra-espinhal, a bursa e o tendão do bíceps) e o atrito (degeneração) são os outros fatores considerados como causadores da lesão do manguito rotador.Essa patologia atinge principalmente mulheres acima de 40 anos e a dor no ombro é a segunda maior causa de consultas ortopédicas perdendo apenas para a dor lombar.O não tratamento dessa patologia pode levar a uma ruptura total do manguito rotador causando dor e perda dos movimentos do ombro.A lesão pode ser classificada por fases:Fase I: Edema e hemorragia reversíveis.Tratamento conservador com fisioterapia e medicação geralmente promove uma recuperação total.Fase II: Fibrose e tendinite do manguito rotador.Tratamento conservador com fisioterapia e medicação costuma ser eficiente nos primeiros episódios de dor e por isso a importância de procurar logo um profissional.Fase III: Ruptura completa do manguito com alterações ósseas associadas.Geralmente o tratamento cirúrgico é o indicado.Veja proposta de tratamento em casos não cirúrgicos. Acesse  http://www.institutorv.com.br/fisioterapia-ortopedica/Ligue 2091-1267!Fonte Instituto RV

Por Instituto RV- Rodrigo Garcia 

O Manguito Rotador é formado por quatro músculos (Supra-espinhal, infra-espinhal, subescapular e redondo menor) que se originam na escápula e inserem-se nas tuberosidades da cabeça do úmero. Sua função é gerar estabilidade ao ombro, promover movimentos do braço e nutrir a articulação do ombro.

O suprimento sanguíneo deficitário do músculo supra-espinhal é um dos principais fatores para desenvolvimento de patologia degenerativa do manguito rotador. Além disso, o trauma, o impacto (entre a tuberosidade maior do ombro e acromio impactando o tendão do supra-espinhal, a bursa e o tendão do bíceps) e o atrito (degeneração) são os outros fatores considerados como causadores da lesão do manguito rotador.

Essa patologia atinge principalmente mulheres acima de 40 anos e a dor no ombro é a segunda maior causa de consultas ortopédicas perdendo apenas para a dor lombar.

O não tratamento dessa patologia pode levar a uma ruptura total do manguito rotador causando dor e perda dos movimentos do ombro.

A lesão pode ser classificada por fases:

Fase I: Edema e hemorragia reversíveis.

Tratamento conservador com fisioterapia e medicação geralmente promove uma recuperação total.

Fase II: Fibrose e tendinite do manguito rotador.

Tratamento conservador com fisioterapia e medicação costuma ser eficiente nos primeiros episódios de dor e por isso a importância de procurar logo um profissional.

Fase III: Ruptura completa do manguito com alterações ósseas associadas.

Geralmente o tratamento cirúrgico é o indicado.

Proposta de Tratamento:

Tratamento utilizando as seguintes técnicas e recursos:

– Analgesia com Compex Wirelles e Agulhamento a Seco

– Terapia Manual

– Kinesio Taping

– Exercicios Proprioceptivos para retorno as atividades diárias, ocupacionais e esportivas

– Cinesioterapia com ênfase em exercícios de fortalecimento do manguito rotador com o objetivo de diminuir o impacto. Além disso, estudos recentes demonstram a importância na ativação dos músculos escapulares no melhor funcionamento do ombro lesionado.

Links relacionados: Fisioterapia  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *