Má postura e sedentarismo têm provocado problemas de coluna em jovens

Matéria originalmente publicada no Diário Catarinense

Má postura, sedentarismo, prática excessiva de esportes e o peso do material escolar têm provocado dores das costas em um público cada vez mais jovem. Os problemas de coluna, que afetavam apenas as pessoas da terceira idade, atinge esta parcela da população, especialmente crianças e adolescentes.

As dores lombares tem diversas causas. O sedentarismo causado pela automatização dos aparelhos domésticos e a falta de atividades físicas são algumas das mais prejudiciais.

Atualmente, o lazer já não é mais condicionado às atividades físicas. Geralmente é direcionado a uma mesa de computador ou a um jogo de vídeo-game, que pode trazer sérios problemas na coluna.

Passar horas sentado em frente à televisão, por exemplo, pode trazer consequências difíceis de serem tratadas . Segundo o fisioterapeuta Vinicius Paciulo do Instituto RV — especializado em tratamento de coluna — esse condicionamento poderá acarretar alguns vícios de postura.

Medidas preventivas

Um estudo aponta que existe 88% de probabilidade de ocorrer dor na coluna na fase adulta quando o adolescente apresenta o problema no período de crescimento.

Caso não sejam tomadas as medidas preventivas nessa fase, a tendência é agravar o quadro de dor e as alterações posturais. Por isso é importante implementar medidas preventivas em escolas e na cultura dos jovens.

Fatores como a obesidade e o sedentarismo, que também estão presentes nessa idade, contribuem para agravar o problema. A nutricionista funcional do Instituto RV, Karin Roberta Dantas, destaca que a obesidade infanto-juvenil, tem crescido a cada dia.

De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), a prevalência de obesidade infanto-juvenil no Brasil subiu 240% em 20 anos. Esse dado se deve a hábitos alimentares inadequados, iniciado pela introdução precoce de determinados alimentos na infância e consumo excessivo de produtos industrializados.

— Esses fatores são “gatilhos” para o desenvolvimento da obesidade na infância, principalmente quando a criança tem um fator genético para a doença. Uma vez desenvolvida obesidade na infância, a probabilidade de se tornar um jovem e adulto obeso é significante, assim como os efeitos colaterais sobre a coluna — esclarece Karin.

Alternativas

Uma forma de reduzir fatores como as alterações posturais e o sedentarismo é o pilates, atividade que consiste em técnica de tratamento fitness, a qual leva em consideração uma boa postura, além de melhorar o condicionamento físico auxilia na perda de medidas.

— Na verdade a redução de peso ocorre porque aumentamos durante o exercício o metabolismo basal devido ao aumento da frequência cardíaca e respiratória —ressalta Paciulo.

Segundo o fisioterapeuta, o pilates realizado em crianças e adolescentes tem algo diferente; trata-se de uma técnica mais dinâmica em relação às outras terapias que tem o mesmo objetivo de correção postural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *