Tratamento não cirúrgico para estenose lombar

Claudicação neurológica e dor intermitente irradiada abaixo do joelho pode ser sinal de estenose lombar, um estreitamento do canal vertebral, que acontece quando há uma diminuição da irrigação da raiz nervosa.

A estenose lombar é uma patologia progressiva e, muitas vezes, incapacitante, que atinge a população com mais idade (geralmente acima dos 65 anos). Seus sinais e sintomas são mais presentes ao ficar em pé ou caminhar.

Só nos EUA, estima-se que tenha sido gasto um bilhão de dólares na década passada em cirurgias para o tratar a estenose lombar, número que vem aumentando nessa década. Mas será que a cirurgia é a solução ideal nesses casos?

Um estudo com 58 pacientes diagnosticados com estenose lombar e submetidos à fisioterapia, exercícios e caminhadas observou a melhora do quadro de dor em 62% dos pacientes. O resultado foi acompanhado pelo período de um ano após as sessões, e mostrou que as dores não retornaram.

Pacientes com estenose lombar podem SIM se beneficiar da fisioterapia e exercícios. É importante ressaltar que o principal sintoma da estenose lombar é a dor irradiada para os membros inferiores e não a dor lombar propriamente dita. Ela também não acontece nas posturas em flexão lombar e sentado.

No Instituto RV, acompanhamos casos onde o paciente alcançou recuperação total dos sintomas com nosso tratamento para a coluna, sem necessitar de cirurgia.

Se você tem estenose lombar, entre em contato com uma das unidades do Instituto RV e saiba mais sobre o RCV – Reequilíbrio da Coluna Vertebral. Temos tratamento para a estenose lombar em Perdizes, Moema e Tatuapé!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *