Whiplash

25 de junho de 2016

O Whiplash, conhecido como síndrome do chicote ou “lesão por desaceleração”, passou a ser conhecida durante o auge das ferrovias, quando indivíduos envolvidos em acidentes de trem começaram a manifestar sintomas semelhantes, compreendidos basicamente por dores cervicais e perda de amplitude de movimento. O quadro foi, então, denominado de “railway spine” (coluna da estrada de ferro) (Eck et al, 2001; Garamendi et al, 2003).

Essa síndrome ocorre quando uma pessoa é submetida ao mecanismo de aceleração/desaceleração (movimento em chicote) imposto à região cervical ocasionados, por exemplo, em um acidente automobilístico.

Os sinais e sintomas encontrados são:

  • Alterações ósteo-mio-articulares;
  • Alterações neurológicas e psicológicas;
  • Cefaleias e algias torácicas;
  • Perda de amplitude de movimento (principalmente rotação);
  • Diminuição de reflexos e cognição;
  • Estiramentos musculares e ligamentares;
  • Distúrbios vestibulares, como vertigem e déficits de equilíbrio.

O diagnostico é difícil, já na maioria dos casos não existem alterações anatômicas ou fisiológicas no exame clínico e/ou nos exames por imagem evidentes que justifiquem o quadro.

As Desordens Associadas à Síndrome do Chicote (DASC) podem ser classificadas em:

  • Grau 01: Manifestações clínicas como: dor e rigidez cervical ou contratura muscular, porém, sem sinais clínicos;
  • Grau 02: Manifestações clínicas como: dor e rigidez cervical ou contratura muscular, com sinais musculo-esqueléticos;
  • Grau 03: Manifestações clínicas como: dor e rigidez cervical ou contratura muscular, com sinais neurológicos;
  • Grau 04: Manifestações clínicas como: dor e rigidez cervical ou contratura muscular, com fratura ou luxação cervical.

A instabilidade permanente ocasionada por essa síndrome gera um déficit de cognição dos músculos profundos e portanto o re-treinamento dos músculos locais e mais profundos da região cervical, redefinindo a função de estabilidade, podem melhorar os sintomas. Além disso, técnicas de mobilização articular e neural podem ajudar nas manifestações clinicas dessa síndrome.

O Instituto RV utiliza todos esses recursos na abordagem dos pacientes com lesão de Whiplash. É fundamental uma abordagem multi-direcional para combater os sintomas dessa patologia.

Conheça as patologias da coluna vertebral que são tratadas com o método RCV:

  • Hérnia de Disco

    Seus principais sintomas são dor aguda na região cervical ou lombar, muitas vezes, acompanhada de dor irradiada para os membros superiores ou inferiores, com ou sem parestesia (formigamento), fraqueza muscular, dificuldade de locomoção e incapacidade temporária…

    Saiba Mais
  • Dores de nervo ciático e ciatalgia

    A dor no nervo ciático geralmente ocorre devido ao pinçamento de alguma estrutura da coluna sobre o nervo ou até mesmo por uma inflamação ou dano em algum outro ponto do percurso que o nervo faz. É comum ocorrer em pacientes que possuem Hérnia de disco que comprimem o nervo gerando a dor Ciática irradiada para o membro inferior…

    Saiba Mais
  • Escoliose

    A escoliose e uma curvatura anormal da coluna vertebral, muito comum e que possui características multifatoriais. A definição para palavra escoliose em grego quer dizer sinuoso. Na área médica escoliose é uma deformidade patológica com desvio lateral do eixo da coluna vertebral, quando a coluna é visualizada de frente ou de costas…

    Saiba Mais
  • Espondilólise

    Espondilólise é um defeito no istmo da vértebra (anel da vértebra). Esse defeito, fratura, pode ocorrer em um ou nos dois lados da vértebra e é mais comum na lombar baixa L3-S1…

    Saiba Mais
  • Espondilolistese

    A Espondilolistese é um escorregamento do corpo da vértebra em relação a vértebra inferior. Esse deslocamento pode acontecer em diferentes sentidos…

    Saiba Mais
  • Whiplash

    Conhecido como síndrome do chicote ou “lesão por desaceleração”, passou a ser conhecida durante o auge das ferrovias, quando indivíduos envolvidos em acidentes de trem começaram a manifestar sintomas semelhantes, compreendidos basicamente por dores cervicais e perda de amplitude de movimento…

    Saiba Mais
  • Cervicalgia

    A dor cervical (Cervicalgia) possui diversas origens e pode ser desencadeada por vários motivos como má postura no trabalho, mal jeito ao dormir, atividade física vigorosa e até traumas grandes como acidente de carro. Na maioria dos casos a dor é intermitente, os sintomas aparecem de forma misteriosa e depois desaparecem como se nada tivesse acontecido…

    Saiba Mais
  • Protusões discais e Degeneração Discal

    A protusão discal é uma distensão do anel fibroso, que envolve os discos intervertebrais. O disco intervertebral é um disco de cartilagem fibrosa formada por um anel é um núcleo pulposo que compõem a unidade vertebral, garante a absorção de impacto, além de gerar mobilidade e sinergia aos movimentos da coluna…

    Saiba Mais

Veja as principais dúvidas dos nossos pacientes sobre o tratamento da coluna

  • Tenho dor nas costas, e agora?

    Segundo dados da Organização Mundial de saúde (OMS), 85% da população mundial sofrem ou sofrerão de dores na coluna ao longo da vida. No Brasil, a dor nas costas é a responsável por mais de 160.000 casos de afastamentos por ano, segundo dados do Ministério da Previdência Social…

    Saiba Mais
  • Tratamento de Hérnia de Disco

    Seus principais sintomas são dor aguda na região cervical ou lombar, muitas vezes, acompanhada de dor irradiada para os membros superiores ou inferiores, com ou sem parestesia (formigamento), fraqueza muscular, dificuldade de locomoção e incapacidade temporária…

    Saiba Mais
  • Patologias da coluna vertebral

    As patologias da coluna vertebral podem gerar alterações mecânicas e serem tratadas com o RCV…

    Saiba Mais
  • Maca de Descompressão Vertebral

    A fisioterapia vem mostrando grandes avanços na área de reabilitação de coluna através de publicações de estudos científicos, técnicas especificas e tecnologia moderna.

    Saiba Mais