Epicondilite de Cotovelo

Conhecido também como Cotovelo de tenista ou Golfista, a Epicondilite de Cotovelo é o termo utilizado para a tendinite dos extensores ou flexores do punho e dedos.

epicondilite-de-cotovelo

Quando a epicondilite de cotovelo é lateral, o principal músculo envolvido são o extensor radial curto do carpo e, em menor grau, a porção ântero-medial do extensor comum dos dedos. Se medial, a lesão pode ser encontrada tanto na origem do pronador redondo como no flexor radial do carpo.

A origem da epicondilite de cotovelo são micro lesões na musculatura do antebraço gerando dor e desconforto principalmente durante movimentação podendo ou não haver limitação de movimentos e edema local. Supõe-se que a epicondilite lateral seja uma degeneração do tecido conjuntivo no qual vários músculos se originam de um pequeno ponto ósseo. Em vários estudos não foram encontrados evidências de processo inflamatório.

A grande razão para o surgimento da epicondilite de cotovelo parece ser o esforço repetitivo, sobrecarga e desequilíbrio muscular. O tratamento na maioria dos casos é conservador com medicação e fisioterapia.

A fisioterapia tem que inicialmente focar no alívio da dor e depois no restabelecimento da função articular e muscular. Recentemente vários estudos mostram a importância da utilização de exercícios excêntricos para restruturação das fibras musculares lesionadas.

Proposta de Tratamento do Instituto RV:

  • Eletro-analgesia com Laser e Ultra-som
  • Kinesio Taping
  • Agulhamento a seco (Dry Needling)
  • Exercícios específicos para abolição dos sintomas
  • Exercícios excêntricos para cicatrização das fibras lesionadas

No Instituto RV as sessões de fisioterapia são feitas individualmente o que aumenta a eficácia do tratamento e reduz o número de sessões.

 

Continue lendo as patologias ortopédicas mais comuns:

Rolar para o topo