Espondilólise é um defeito no istmo da vértebra (anel da vértebra). Esse defeito, fratura, pode ocorrer em um ou nos dois lados da vértebra e é mais comum na lombar baixa L3-S1. A Espondilólise pode acontecer por defeitos congênitos ou de desenvolvimento mas é mais freqüente nos jovens e adultos que participam de atividades que aumentam o estresse na região lombar através de movimentos repetitivos de extensão da coluna (dobrar as costas para trás) como jogadores de tênis, ginastas, dançarinos. Esse movimento repetitivo causa o enfraquecimento dos anéis das vértebras lombares resultando na fratura deles. Na criança, a Espondilólise pode ocorrer por predisposição genética que leva a rarefação óssea que associado a Hiperlordose ou atividade física repetida pode antecipar o aparecimento da lesão.

O inicio do quadro de dor é progressivo com dor constante ou intermitente sem associação com fatores neurológicos (formigamentos nos membros inferiores). A Espondilólise muitas vezees está associada com:

  • Hiperlordose (aumento da lodosa lombar);
  • Atitude escoliótica devido a dor;
  • Contratura da musculatura paravertebral;
  • Reprodução da dor ao movimento de hiperextensão de coluna.

A prevalência dessa lesão na população em geral é pequena. É Mais prevalente em menores de 20 anos de idade e volta a aparecer em pacientes acima dos 60 anos.

O tratamento de Espondilólise no Instituto RV é supervisionada por profissionais capacitados e focada na recuperação da estabilidade da coluna através do treinamento dos músculos estabilizadores locais e melhora do posicionamento e postura lombar através do recrutamento muscular postural. Além disso, a Maca de Flexo-Distração e Mobilização da Coluna Vertebral também pode ser usada para gerar alivio imediato de dor através da mobilização facetaria sem gerar estresse mecânico a unidade vertebral.

Conheça as patologias da coluna vertebral que são tratadas com o método RCV:

Veja as principais dúvidas dos nossos pacientes sobre o tratamento da coluna

Rolar para o topo