A escoliose, que em grego quer dizer sinuoso, é uma curvatura anormal da coluna vertebral, muito comum e que possui características multifatoriais.  Na área médica, a escoliose é uma deformidade patológica com desvio lateral do eixo da coluna vertebral, quando a coluna é visualizada de frente ou de costas.

Existem classificações e subgrupos para as escolioses:

  • Escolioses não-estruturais ou corrigíveis são causadas por problemas posturais, psicológicos, irritação de raiz nervosa (ciática, tumores, apendicite, etc.), discrepância no comprimento dos membros inferiores, contraturas musculares e cicatrizes.
  • Escolioses estruturais são causadas por doenças que atingem a coluna e as estruturas ligadas a ela, produzindo deformidades fixas, tal qual podemos subdividir em grupos: idiopáticas, neuromusculares, congênitas e outras causas menos frequentes.

A mais comum é a escoliose idiopática na adolescência, com maior incidência no sexo feminino e de curvaturas entre 10 graus ou mais – não progressiva, com desvio à direita e acompanhadas ou não de dor, dependendo da idade e o grau da escoliose. Em alguns casos, pode ocorrer transtornos psicossociais devido a deformidades estéticas – percebidas, na maioria das vezes, pelos pais.

O diagnóstico e tratamento dependem principalmente da avaliação clínica e por imagem (exame de RX), onde é verificado a maturação óssea do quadril (índice de Risser) e o grau de curvatura da coluna através do ângulo de Cobb.

Escolioses Idiopáticas:

  • Escoliose Idiopática Infantil (0 a 3 anos);
  • Escoliose Idiopática Juvenil ( 4 a 9 anos);
  • Escoliose Idiopática Adolescente (10 anos até o fim da adolescência).

Grau da curvatura através do ângulo de Cobb:

  • Escoliose leve (1 a 25 graus);
  • Escoliose moderada ( 25 a 50 graus);
  • Escoliose grave ( 40 graus na fase de crescimento ou maior que 50 graus na fase adulta).

O objetivos do tratamento:

  • Prevenção e impedimento da progressão da curvatura;
  • Conscientização postural e funcional;
  • Manutenção e melhora do padrão respiratório;
  • Reduzir a dor e manter padrões neurológicos em alguns casos.

Dicas para detectar uma escoliose:

  • Observar se há desnível entre os ombros;
  • Observar se há inclinação lateral da cabeça;
  • Observar se há desnível do quadril;

O Instituto RV acredita que técnicas como RPG, Mckenzie e ESV (Estabilização segmentar vertebral) podem auxiliar em mais de 85% dos casos de Escolioses Idiopáticas.

A conscientização postural e exercícios de estabilização local e global, feitas pelo Fisioterapeuta e supervisionada pelos pais, tornam o tratamento eficaz para esse tipo de deformidade da coluna vertebral.

Agende uma avaliação com um de nossos especialistas!

Conheça as patologias da coluna vertebral que são tratadas com o método RCV:

Veja as principais dúvidas dos nossos pacientes sobre o tratamento da coluna

  • Dor cervical Cervicalgia A CERVICALGIA é uma das patologias que mais causam reincidência após tratamentos conservadores. Má postura no trabalho, mal jeito para dormir, um acidente de carro… Leia Mais »
    Cirurgia para hérnia de disco CIRURGIA PARA HÉRNIA DE DISCO É A SOLUÇÃO? Cirurgia para hérnia de disco é um recurso muito utilizado no Brasil. Já falamos muito aqui sobre as evidências que mostram que não é muito… Leia Mais »
    Tratamento definitivo para Nervo Ciátio Dor no Nervo Ciático Tratamento especializado para dor no Nervo Ciático pode reduzir a dor me mais de 90% dos casos. A dor no nervo ciático geralmente ocorre devido… Leia Mais »
    Tratamento hérnia de disco Hérnia de disco: Tratamento em São Paulo A hérnia de disco é uma das doenças degenerativas da coluna vertebral mais frequentes e afeta cerca de 39% das pessoas com dor lombar crônica.… Leia Mais »
    Mesa de descompressão vertebral Maca de descompressão vertebral Maca de Descompressão Vertebral A fisioterapia tem mostrado grandes avanços na área de reabilitação de coluna por meio da publicação de estudos científicos, técnicas específicas… Leia Mais »
    Patologias tratadas As patologias da coluna vertebral podem gerar alterações mecânicas e serem tratadas com o RCV: Veja as principais dúvidas dos nossos pacientes sobre o tratamento… Leia Mais »
Rolar para o topo